terça-feira, 12 de agosto de 2014

ETERNAMENTE BRIGADOS

                                          
Meu amor, não sei como esquecer, tudo que a gente viveu, e tudo que a gente deixou de viver. Eram momentos felizes, contentes, e tudo mais. Tirando as brigas. Oh, as brigas. As brigas fizeram parte desse relacionamento, eram briguinhas tão bobas, que não serviam para nada. A gente brigava por nada.
Eu lembro de seus ataques de ciúmes, o quanto eu ria de você por isso, e você? Você ficava revoltadinho. Era tão legal, até que o orgulho amargou nossas vidas. A gente brigou outra vez.
Você que sempre me procurava, nunca mais me procurou, e eu nunca mais te desculpei. Esperava sempre o seu telefone, e suas linda voz, falando: '' Me desculpa amor, me perdoa, você é minha vida. '' Mais não, ninguém deu o braço a torcer.
O tempo passou, eu havia chorado demais, mais eu me arrependo por ter chorando, meu amor. Eu acho que antigamente, eu era uma boba, uma retardada, uma iludida, e uma sei lá. E esse ''antigamente'' foi seis meses atrás. E só hoje estou escrevendo essa mensagem para você.
Não quero mais nada, e que tudo que a gente viveu, era apenas um começo, um meio, e um fim de um pequeno relacionamento. Eu não te amo mais, e não quero mais nada com você. Deixo a porta aberta para você sair, e nunca mais me procurar.

Amanda M. Silva Estevam